O que é melhor para ti, pode não ser para mim

[Na Prática]

(…) Era uma vez uma fêmea de elefante cor-de-rosa que se apaixonou por um elefante branco.
Todos diziam que eles eram muito diferentes, que nunca iria resultar, mas o certo é que quando as suas trombas se tocaram, eles sabiam que, juntos, seriam capazes de caminhar sobre nenúfares.

Consta que a elefanta gostava muito de amendoins descascados e sucede que o elefante preferia as cascas ao miolo. “Que bom”, poderiam pensar, deste modo não se perderia nada, mas não era bem assim…

A elefanta preocupava-se em descascar os amendoins para dar ao seu amado apenas o miolo, mas em troca, do companheiro não recebia senão cascas.

Por outro lado, o elefante branco sacrificava-se a comer os miolos para dar à sua amada a parte melhor, as cascas, mas nunca era retribuído no seu gesto.

Nenhum deles se sentia à vontade para comentar este comportamento do parceiro, mas o certo é que ficavam magoados…

A casca e o miolo, Rita Vilela, in Brincar com coisas sérias

Advertisement

2 thoughts on “O que é melhor para ti, pode não ser para mim

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s