Enraizar

[Na Prática]

raizes-amor-teoria“Pelo facto de nascer, entramos num estado ou sensação de desenraizamento e, portanto, de insatisfação. Procuramos veemente outra pessoa que nos faça sentir uma sensação de enraizamento e que nos ajude a superar a nossa insatisfação, sem nos apercebermos que somos nós próprios que temos de amadurecer e enraizar-nos no nosso ser e assim completarmo-nos e encontrarmos satisfação e bem-estar.

Na medida em que nos sentimos enraizados em nós já não procuramos compulsiva ou veemente um companheiro. E é desde essa maturidade, precisamente, quando podemos encontrar o companheiro idóneo, mas já não precisamos dele. Se surgir, veremos a opção que tomámos, mas já não procuraremos que alguém procure por nós aquilo que só nós interiormente podemos procurar.

Ao não procurar um companheiro obsessivamente, porque já estamos completos em nós próprios, é quando pode aparecer o adequado. Deveríamos começar por prescindir do termo “casal”, porque já é um rótulo que limita e constrange, quando na verdade, ninguém é de ninguém.”

Nuria Jiménez Marquéz in A arte do casal, Ramiro Calle

Advertisement

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s