A importância de falhar

[Na Prática]

amor-teoria-falharFalhar [significados comuns]
1. Não ter sucesso
2. Não acertar em…
3. Errar
4. Não produzir o efeito desejado
5. Não funcionar
6. Frustrar

Falhar [significados Amor em Teoria ;)]
1. Aprender
2. Evoluir
3. Descobrir
4. Crescer
5. Flexibilizar
6. Aceitar

Com qual das versões te identificas mais?

Falhar é comum. Nem sempre nos deixa com uma sensação agradável e de aprendizagem directa, mesmo assim, há quem consiga de uma forma muito consciente, retirar algo de bom de um evento que não corre conforme espera.

É verdadeiramente agradável e revigorante ter uma sensação de sucesso perante uma determinada expectativa criada. A questão está na forma como lidamos com o inverso. Seja em que contexto for. No contexto amoroso, de que aqui falamos, como tendemos a lidar com o insucesso de uma atitude / reacção nossa ou mesmo do nosso relacionamento? Vamos pensar de uma forma mais distanciada, pois sabemos que, por vezes, a proximidade do “evento”, nos tolda a clareza e racionalidade deste processo de reflexão. 🙂

Esta semana tivemos oportunidade de partilhar um vídeo sobre um casal que 2 anos após ter terminado a sua relação, resolveu perceber o que correu melhor e menos bem durante a mesma. É impressionante a consciência que ganhamos depois de um processo de reflexão como esse, em que cada um explora de forma cuidada e sem julgamento o que se passou. É verdadeiramente importante fazê-lo quer por uma questão de consciência, evolução e entrega numa relação e, acima de tudo, por uma questão de auto-conhecimento.
Se é bom fazê-lo após uma relação terminar, é melhor ainda torná-lo uma prática consciente e regular no nosso dia-a-dia, em qualquer contexto. Aqui falamos de resultados que são diferentes do que esperávamos inicialmente, o que não invalida fazê-lo também para aqueles que nos deixam plenos de nós (na perspectiva de os valorizar e reforçar, em nós e no outro).

“Não existe falhanço, só existe feedback.”
John Grinder

Vamos à prática. Como olhar para a palavra “falhar” com a aceitação que a mesma merece? Experimentando novas possibilidades.

Se a sensação de falhanço está associada a um evento ainda dentro da tua relação, pára, sente, escuta, olha e agradece. 🙂 É uma excelente oportunidade de tornares a tua relação mais forte e mais próxima, se te atreveres a explorar a situação, a mostrar a tua vulnerabilidade perante a mesma e a conheceres ainda melhor quem és, quem está contigo e quem são enquanto casal. Se em cada vez que as coisas não correm conforme esperamos, tivermos a coragem de conversar sobre o tema e sobre como desejamos que aconteça no futuro, com tolerância e curiosidade para perceber o ponto de vista do outro, aceitando-o, será com certeza mais positivo para ambos, do que uma discussão carregada de julgamentos e acusações.

E quando a sensação de falhanço surge associada a uma separação, o que podemos fazer com isso? Às vezes surge a sensação de que já não há nada que possamos fazer e queríamos tanto que tivesse funcionado… Às vezes, para essa relação, se calhar já não servirá, é verdade. O que interessa verdadeiramente é a nossa aprendizagem para o que virá e, acima de tudo, para nós.
Será, portanto, importante perceber sozinh@ (quando ainda não há disponibilidade para o fazer com quem terminamos a relação), o que correu bem, o que podia ter corrido melhor e as grandes aprendizagens para nós, daquela relação. Em curtas palavras: que valor é que esta relação me acrescentou (pois se estivemos juntos, por algum motivo foi :)) e o que sinto que me tirou (se é que nos tirou alguma coisa), que quero recuperar e posteriormente manter. Estamos aqui a falar de coisas do coração. Quando falamos em acrescentar ou tirar, tem só a ver com o nosso “ousar ser grande“, quem somos! 🙂

E quando a relação já terminou e resolvemos dar-lhe uma segunda oportunidade? Muitas vezes, os casais que o fazem (voltar), fazem-no pois sentem falta de tudo o que de bom esta relação lhes trazia. E é óptimo acedermos a essas memórias. O que pode incorrer num novo “erro” (gerando nova frustração), é assumir que tudo vai correr bem desta vez, sem ao menos terem explorado as arestas que podiam ser afinadas, para caminharem em direcção a um futuro a dois, mais pleno, transparente e livre de pedras que foram colocando no seu caminho “anterior”. Vale sempre a pena explorar isso.

O feedback que temos de determinada situação é a melhor resposta para perceber se a forma como agimos está a gerar à nossa volta os resultados que esperamos.
Vamos contar-te um segredo… há sempre uma forma diferente de lidar com a mesma situação. Às vezes essa diferença está apenas na forma como olhamos para ela. Falhar dá-nos a oportunidade de, numa próxima vez, experimentar de forma diferente. ❤

Uma última questão, que será sempre importante manter presente. Já a conheces… antes de iniciarmos / retomarmos uma relação com outro alguém, a melhor e mais saudável relação que podemos ter é mesmo connosco próprios. Sentes isso? Tens esse cuidado? 🙂 A partir daí, tudo o resto virá.

Em cada “falhanço” que surge na tua vida, de uma coisa fica cert@, se o aceitares e dedicares a atenção e curiosidade plena de o explorares, surgirás cada vez mais TU. ❤

“É um bom sinal ter o coração partido.
Significa que tentamos algo.”
Elizabeth Gilbert

[MJL]

Advertisement

One thought on “A importância de falhar

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s